5 de novembro de 2007

Citação

Photo Sharing and Video Hosting at Photobucket

Depois de algum tempo aprendes a diferença, a subtil diferença entre dar a mão e acorrentar uma alma. E aprendes que amar não significa apoiar-se, e que companhia nem sempre significa segurança. E começas a aprender que beijos não são contratos e presentes não são promessas. Acabas por aceitar as derrotas com a cabeça erguida e olhos adiante, com a graça de um adulto e não com a tristeza de uma criança. [...] Descobres que só porque alguém não te ama da forma que desejas, não significa que esse alguém não te ama com tudo o que pode, pois existem pessoas que nos amam, mas simplesmente não sabem como demonstrar ou viver isso. Aprendes que nem sempre é suficiente ser perdoado por alguém, algumas vezes tens que aprender a perdoar-te a ti mesmo. Aprendes que com a mesma severidade com que julgas, poderás ser em algum momento condenado. Aprendes que não importa em quantos pedaços o teu coração foi partido, o mundo não pára para que tu o consertes. Aprendes que o tempo não é algo que possa voltar para trás. Portanto, planta o teu jardim e decora a tua alma, ao invés de esperares que alguém te traga flores. E aprendes que realmente podes suportar mais... que és realmente forte, e que podes ir muito mais longe depois de pensar que não se pode mais. E que realmente a vida tem valor e que tu tens valor diante da vida! As nossas dádivas são traidoras e fazem-nos perder o bem que poderíamos conquistar, se não fosse o medo de tentar.

Shakespeare

Nota: Obrigada a Sofia Freitas, uma amiga da minha irmã, por ter enviado um e-mail com esta citação.

5 outra(s) inspiração(ões):

Andy disse...

O teu texto, mais uma vez está excelente, e eu estou uma vez mais completamente de acordo.
É pena haver gente de mente fraca que não pensa assim, como é descrito no texto, gente que ache que se pode obter coisas á força, tornarem-se no que não são só para agradar, fazerem merda e quererem ser perdoadas mas depois voltarem a faze-la. Portanto, há pessoas que infelizmente não sabem plantar o seu jardim e decorar a sua alma, ao invés, esperam que alguém lhes leve flores.
E assim, claro, não pode ser.
Gosto mesmo muito deste texto, aguardo mais!!! ;P

Raquel disse...

Concordo com o excerto. Apesar de o texto não ser da tua autoria, foste tu que o escolheste e isso também tem valor. obrigada por este "novo sopro" que refrescou a minha alma. É a minha maninha ^-^

Também concordo com a andy quando diz que "É pena haver gente de mente fraca que não pensa assim, como é descrito no texto, (...), tornarem-se no que não são só para agradar". Não basta só acreditar nestas palavras, também é necessário colocá-las em prática com vontade e sinceridade.

E o texto ensina-nos, sobretudo, a encarar a vida com mais optimismo e alegria de viver.

Beijinhos =)

PS:a sofia mandou-me o e-mail e só tomei conhecimento do texto no teu blogue XD Continua a abrir os meus mails porque se depender de mim vou deixar escapar muitas vezes mensagens como esta XD

Cláudia disse...

Depois de algum tempo aprendes a diferença, a subtil diferença entre dar a mão e acorrentar uma alma.

E a isso chama-se crescer. Gostei muito do texto que escolheste, que parte do princípio que estas coisas vão-se aprendendo ao longo da vida - não nascemos com elas e na maior parte das vezes ensinam-nos exactamente o contrário. Como a Raquel disse, traz um novo sopro à alma. ^^

As nossas dádivas são traidoras e fazem-nos perder o bem que poderíamos conquistar, se não fosse o medo de tentar.

Será que se tentarmos muito muito passar a LIE vamos conseguir? :P

Sofia Freitas disse...

Oi :P
O texto está maravilhoso :P

Ainda bem que gostaste.

Bjinhux para as duas :P

Thiago disse...

É fantástico, mas não pertence a Shakespeare.
Erroneamente é creditado a ele.