12 de dezembro de 2011

Quem tem boca vai a Roma

Durante a hora de almoço, que serviu de pausa para o exame, os três saíram do instituto e atravessaram a rua, com o intuito de saberem se o café da rua servia bons petiscos para saciar a fome.

Como dois deles traziam comida de casa, o terceiro elemento do grupo entrou, pediu e saiu com a sua merenda. Do lado de fora e bem juntinho à berma do passeio, estava algo semelhante a um banco de jardim, apesar de ali não haver nenhum.

Ora, nem mais! Vazio, parecia que estava à espera deles. Era pequeno mas, felizmente, servia o propósito, já que só dois se quiseram sentar.

Enquanto almoçavam, de vez em quando, uma ou outra pessoa espreitava do lado de dentro do café. Se calhar, queriam sentar-se aqui também.

Faltavam poucos minutos para o início da última parte do exame, no entanto, a hora de almoço ainda não tinha terminado. Eis então que, do café, saiu um empregado sorridente que, cheio de bons modos, pediu licença para afixar um papel ao encosto do banco. Logo a seguir, retirou-se com a mesma delicadeza.

Só depois é que o grupo teve oportunidade de ler o dito cujo:


ESTE BANCO É DO USO EXCLUSIVO DOS CLIENTES




...

Mas eles eram clientes, quer dizer, uma das pessoas consumiu, portanto...

Já agora, para quê tanta educação para, no final de contas, demonstrar precisamente o contrário?

Dá-se o desconto porque, afinal, toda esta história serve só para reforçar a ideia de que há muita gente que sofre deste mal chamado "falta de tacto".

3 outra(s) inspiração(ões):

Cláudia disse...

Também já me fizeram isso num café de um parque de campismo. Tinha uma máquina de jogos, um computador e umas mesas que estavam afastadas do resto do café, por isso sentámo-nos lá a beber um leite com chocolate. O dono do café passou algum tempo a olhar para nós com ar irritado até que, às tantas, veio ter connosco e disse: "Não têm vergonha por estar aqui sentados sem consumir nada"? Idiotas xD

Twinny disse...

Mesmo! Tivesse posto as mesas mais próximas do café, ora! xD

Mas vá lá que esse falou, ao contrário do outro. :/

José Piçarra disse...

Então mas é um banco de jardim... Se eu me sentasse lá e pedisse para me trazerem um prato, como é que faziam?

Grande lata, eu havia de os chatear à grande.